Fotos e Histórias

Arquivo

  • 2016 (1)
  • 2015 (4)
  • 2014 (8)
  • 2013 (12)
  • 2012 (22)
  • 2011 (35)
  • 2010 (10)
  • 2009 (1)

ervas daninhas

Descobrimos a primeira tarefa que não nos agrada nada executar, a semana passada ocorreu na nossa horta a primeira limpeza de ervas daninhas na nossa história. É um trabalho custoso, é demorado, que exige concentração (para não acertar nas couves nem nas alfaces), é cansativo e dá dores nas costas, e acima de tudo desanima pensar que em menos de tempo nenhum elas (as ervas daninhas) vão voltar. No entanto é compensador olhar para trás e ver as filas limpas, e só se ver as culturas que estão plantadas.

Temos que começar a pensar e a testar diferentes coberturas de solo, para tornar o trabalho de controlar as ervas daninhas, mais leve e esporádico.

Ficam aqui duas fotos para verem a diferença.

As primeiras culturas estão na terra!

São couves portuguesas (para o Natal!), alfaces (três variedades) e feijão verde. As couves e as alfaces foram consociadas ao ar livre, em camalhões de 1m de lado por 30m de comprimento (uma linha de alface entre duas linhas de couve). Esta consociação envolve uma cultura de crescimento lento (a couve) com uma cultura de crescimento mais rápido (a alface) o que permite uma mais eficiente utilização e cobertura do solo. Quando as alfaces forem colhidas dentro de um ou dois meses as couves continuarão a crescer e até dezembro terão espaço suficiente para se desenvolverem.

Dentro da estufa colocámos os feijões. O tempo está ventoso e já começou a refrescar e não quisemos arriscar que os pés frágeis desta cultura se partissem. Foram estacadas com canas, pé sim, pé não e em breve irão começar a trepar por elas acima.