Fotos e Histórias

Arquivo

  • 2016 (1)
  • 2015 (4)
  • 2014 (8)
  • 2013 (12)
  • 2012 (22)
  • 2011 (35)
  • 2010 (10)
  • 2009 (1)

Crowdfunding

capa_PPL

Está neste momento a decorrer uma campanha de Crowdfunding criada por nós para podermos adquirir um mini-trator (http://ppl.com.pt/pt/prj/casal-hortelao).

Ao fim de quatro anos a contar apenas com uma moto-enxada para preparar o solo, que para além de ser fisicamente duro, nunca deixa o solo com as condições ideais para as plantações e transplantações que fazemos. Um mini-trator vai revolucionar o nosso calendário, uma vez que vai ser simples e rápido preparar as camas elevadas para onde vão as plantas assim que estejam prontas, sem perderem o seu ritmo de crescimento ideal.

Resolvemos assim recorrer ao financiamento directo pelo nossos familiares, amigos, clientes e seguidores, pedindo pequenas contribuições para atingirmos o objetivo de juntar o suficiente para o mini-trator e com isso dar um salto de gigante na nossa produção.

A todos os que nos puderem apoiar. MUITO OBRIGADO!!!!

Podem ver aqui o pequeno filme que fizemos para a campanha

Ferramentas novas!

Ao longo dos anos temos vindo a aprender que trabalhar com as ferramentas certas faz toda a diferença, não apenas no que diz respeito ao esforço e à eficiência do trabalho mas também na forma como o solo fica depois de o trabalharmos. Começámos com o básico – a enxada – e usámo-la para tudo. Abrir regos, amontoar, limpar ervas, montar camalhões… Rapidamente percebemos que o esforço era demasiado e o trabalho não ficava bem feito. Com um pouco de pesquisa online descobrimos uma ferramenta “mágica” que é jà utilizada nos EUA e no Canadá em pequenas quintas familiares, de pequena escala altamente produtivas, como nós queremos ser um dia – a broadfork. Agora até nos parece algo comum mas para nós foi uma descoberta que ajudou a mudar um pouco a forma como preparamos o solo e até como organizamos a nossa horta em blocos. Esta ferramenta não é mais que uma forquilha cavadora de dois braços e com a largura ajustada à dos nossos camalhões. É muito robusta e perfeita para o nosso solo pesado. O que ela nos permite fazer é arejar a 30cm os camalhões com uma única passagem, permitindo melhorar a drenagem e facilitar o trabalho da motoenxada que vem a seguir incorporar o composto. E outra vantagem é não forçarmos as costas porque trabalhamos direitos – trabalhamos isso sim os braços e as pernas. Win-win!

Broadfork

Podem ver a broadfork em ação na nossa estufa neste pequeno video:

Outra ferramenta que adotàmos foi uma espécie de marcador/plantador de alho francês. Basicamente usamo-la para fazer furos equidistantes e com a profundidade de 20cm. Depois é só enfiar as plantas e deixà-las enraizar, já com uma boa profundidade para branqueamento. Só amontoamos mais tarde, durante a monda das ervas daninhas. Funciona bem em solo húmido porque em solo seco os torrões caem para o interior dos buracos dificultando a entrada da planta.

ferramentas-7

Tanto esta ferramenta como a broadfork tivemos de mandar fazer num serralheiro local, que amavelmente seguiu os nossos desenhos e fez os ajustes necessários para aumentar a resistência e peso. Infelizmente não encontrámos cá à venda e encomendar dos EUA ou Canadá era incomportável.

Finalmente, esta ultima ferramenta é genial na sua simplicidade – uma lâmina para limpar ervas daninhas ainda pouco desenvolvidas entre culturas como alfaces, espinafres, etc. Infelizmente não há com várias  larguras à escolha e acabamos por ajustar o espaçamento de plantação para estas culturas de forma a podermos passar a ferramenta entre elas. Mais uma vez o solo tem de estar em condições particulares para o fazermos (muito molhado e a lâmina fica cheia de terra colada, muito seca e a lâmina não entra os 3-5cm necessários para cortar as raízes das ervas).

ferramentas-5

Ano internacional do Solo

Este ano as Nações Unidas celebram o Ano internacional do Solo, para chamar a atenção para a importância que têm os solos e da urgência de os proteger das graves agressões que têm sofrido nas últimas décadas.

Vamos aproveitar o mote para nos dedicarmos um pouco a este assunto, estudar melhor o solo que temos, compreender o estado em que se encontra actualmente (uma vez que já não fazemos análises há algum tempo), e como o podemos melhorar correctamente (em termos de fertilidade e estrutura). O solo é o motor da Agricultura Biológica, e um bom solo produz culturas com maior rendimento, mais saudáveis, mais resistentes a pragas e doenças e com o ritmo de desenvolvimento certo. Na nossa busca por mais informação encontramos este livro que agora andamos a estudar “Building soils for better crops” (http://www.sare.org/Learning-Center/Books/Building-Soils-for-Better-Crops-3rd-Edition), quando terminarmos falamos mais sobre ele.

Deixamos aqui um documentário, que nos inspirou já no inicio deste ano, sobre a temática do solo e das sementes “Soluções locais para uma desordem global”.

Cenouras de todas as cores

20150120-IMG2150

Este ano decidimos experimentar com diferentes variedades de cenoura menos conhecidas por cá, Rodelinka (laranja), Gniff (roxa por fora e branca por dentro), e por fim a Amarela longa. Foram plantadas já um pouco tarde na época, o que nos atrasou um pouco os planos, já as devíamos estar a colher mas ainda estão pequenas. Utilizámos uma técnica de espaçamento intensivo de modo a criar uma cúpula natural com a rama, que por um lado mantém a humidade no solo, e por outro cria um sombreamento que não deixa desenvolver as ervas indesejadas.

Numa altura em que nos sentimos um pouco desligados do que nos fez dedicar os nossos dias à agricultura, sabe bem voltar a ver uma novidade a surgir na nossa horta :)