Fotos e Histórias

Arquivo

  • 2016 (1)
  • 2015 (4)
  • 2014 (8)
  • 2013 (12)
  • 2012 (22)
  • 2011 (35)
  • 2010 (10)
  • 2009 (1)

somos fãs de tractores

tractor_1

Há duas semanas descobrimos uma máquina fantástica, o tractor. É uma maravilha ver esta máquina a trabalhar, enquanto o tractor andou às voltas no nosso terreno, não conseguimos fazer mais nada, senão ver a nossa horta a ficar completamente plana. De um momento para o outro o nosso meio hectare parece enorme, e já conseguimos começar a ver as coisas tomarem forma, já conseguimos imaginar a disposição da horta.

No dia em que decorreu a operação estava um calor brutal, e o tractorista (que é nosso vizinho, e também é produtor), trabalhou bem mas não conseguiu limpar o terreno todo, e agora com este clima incerto estamos a ter dificuldades em conseguir ter o terreno seco para ele lá voltar. É outra coisa que temos que nos começar a habituar, o clima é que manda.

ufa… temos água

Passámos uma semana de preocupação, nem andávamos a dormir bem, por momentos não tivemos a certeza que teríamos a água que necessitamos.

É verdade que por um lado a culpa foi nossa, ter água é fundamental, e nós vamos precisar de muita, por isso se calhar a primeira coisa que deveríamos ter tratado, era de por o furo a deitar água cá para fora. Bem não o fizemos, e por isso quando começamos a tratar da água e surgiram os primeiros problemas com a possibilidade do furo poder estar perdido, deparámos-nos com a situação de voltar à estaca zero, de ter de devolver o terreno ao senhorio, e de começar tudo de novo.

Felizmente correu tudo bem, os problemas e as preocupações foram ultrapassados, e a julgar pelo primero minuto de funcionamento, a bomba trabalha bem e o furo tem água com fartura. Suspirámos de alivio, e entramos já numa nova semana de trabalho com ainda mais vontade, e com mais um assunto resolvido.

P5090022

Por estes dias

P5040002

P5040001

P5040004

Enquanto aguardamos que a terra seque para poder entrar um tractor para limpar as roseiras, enquanto não chega o resultado das análises do solo, enquanto não conseguimos pôr o furo a funcionar – vamos limpando as árvores, empilhando matéria lenhosa para fazer composto e cortando lenha para as lareiras da família e dos amigos.

No que diz respeito ao furo, deparámos-nos com algo que poderá ser um problema: para além de terem sido cortados os cabos de electricidade que alimentam a bomba, também não encontramos a corda que serviria para a retirar para podermos ver se ela ainda está a funcionar. Esta semana iremos ficar a saber se temos água ou se o furo terá de ser dado como inviável…