Fotos e Histórias

Arquivo

  • 2016 (1)
  • 2015 (4)
  • 2014 (8)
  • 2013 (12)
  • 2012 (22)
  • 2011 (35)
  • 2010 (10)
  • 2009 (1)

plásticos

DSC_0314

Plástico é o que nos tem dado trabalho de sobra para já no nosso meio hectare de terra. Há sete anos abandonado, este terreno teve em tempos duas estufas que ocupavam a maior parte dos 0,5Ha que vamos utilizar e que produziam… rosas. Aliás, as roseiras ainda lá estão, mais bravias que nunca mas ainda a florir o que vai dando ao terreno todas as semanas uns apontamentos de cor e muitos arranhões a quem lá anda. Infelizmente não é só com espinhos que temos de lidar neste momento. Apesar da estrutura elevada e visível das estufas já não se encontrar lá, foram deixados para trás metros e metros de plástico de cobertura das estufas, calhas onde encaixava o plástico, extensões imensas de tubos de rega e blocos de brita e cimento por todo o lado – que pensamos que serviriam para segurar os plásticos no local e fortalecer as fundações da estrutura. Tudo isto está há sete anos sobre o solo (e agora sobretudo sob o solo e uma camada espessa de erva e raízes) e não é fácil arrancá-los à terra porque anos de exposição aos elementos tornaram o plástico quebradiço e os tubos quase invisíveis.

Ainda estamos a tentar descobrir a solução para conseguirmos limpar o terreno destes verdadeiros detritos sem deixar um rasto de milhões de pedaços minúsculos misturados na terra e ao mesmo tempo conseguirmos aproveitar toda a matéria orgânica que agora a cobre. Para já vamos arrancando tudo o que vemos ou sentimos debaixo dos pés com cuidado, mas sabemos que não vamos conseguir dar conta de todos os pedaços lá deixados.

Fica uma mensagem para os agricultores que abandonem as suas estufas e o seu negócio: não deixem lixo para os que vêm a seguir. A ideia é deixar o solo melhor do que se encontrou. No nosso caso, é o que pretendemos fazer.

Mensagem aos Fãs

A quem só agora chegou ao nosso blogue, BENVINDO!

Agora que estamos a dias de iniciar uma nova fase no nosso projecto – a criação da empresa e o arranque das operações no terreno – achámos por bem recapitular aos nossos novos visitantes o que nos trouxe até aqui, e agradecer aos que já nos visitam.

Há cerca de ano e meio tomámos a decisão de mudar de vida e tornarmos-nos agricultores. A decisão não foi imediata, mas a ideia de nos tornarmos independentes fazendo algo em que acreditamos foi tomando forma. Começou com a procura do terreno certo – 2,5 ha foi a área que começámos a considerar, mas com o tempo e com o estudo e com as contas, acabámos com meio hectare que nos parece ser a área ideal para ser trabalhado por duas pessoas que estão a começar. Entretanto fizemos um curso de Agricultura Biológica, frequentámos mercados biológicos, estabelecemos contactos com técnicos, estudámos os programas de apoio à agricultura e aos jovens agricultores e agora estamos prontos. Renunciámos aos apoios e subsídios (falaremos disso num outro post), começámos a perceber como é difícil escolher um contabilista, como é difícil obter orçamentos, até já nos vamos deparando com situações de mexer com os nervos. Mas estamos prontos, com o apoio da família e dos amigos.

Este não é o site da nossa empresa. É um blogue pessoal, onde vamos relatando a aventura que está a ser planear um negócio, estudar, pôr mãos-à-obra. Entretanto vão também encontrar referências à nossa pequena horta em caixotes (podem ler sobre o projecto aqui) ou algumas experiências, como conservas de tomate verde. Daqui em diante iremos também falar das dificuldades que vamos encontrando com a burocracia de criar uma empresa, esperando que possa ajudar quem também esteja a começar. E, claro, vamos dar conta dos avanços na limpeza do terreno, da instalação da estufa, da construção de um eventual telheiro ou das primeiras sementeiras.

Esperamos com o tempo reunir uma verdadeira legião de fãs e amigos, mais do que potenciais clientes.

Estejam à vontade para deixar dúvidas ou sugestões, às quais tentaremos dar sempre resposta.

Mãos à obra

casal_hortelao

e começa 2011…

entulho

antes de mais, feliz 2011.

neste momento o nosso terreno ainda está neste estado, cheio de entulho. não é bem cheio, é só um canto, mas é um canto fundamental onde esperamos montar a zona técnica, um telheiro e alguns espaços para arrumação, mas por enquanto nada feito, se tudo correr bem vai ser limpo durante a semana.

outras tarefas que temos a decorrer de momento são a procura de contabilista “acessível”, e procurar estufas. em relação ao primeiro ponto, está a ser complicado encontrar alguém que organize as nossas contas e a um preço adequado à nossa carteira, mas acho que é uma questão de procurarmos mais, temos que equilibrar a confiança que é necessária ter com o valor pedido por quem faz este tipo de serviços. em relação ao segundo ponto, já contactámos algumas empresas de estufas e temos orçamentos, e já visitámos um fabricante que nos fez uma visita guiada ao mundo das estufas.

temos ainda novidades sobre o dilema do  nome, o nome propriamente dito ainda não está escolhido mas já conseguimos os dois chegar a um consenso de cinco nomes, e agora submetemos um pequeno inquérito a familiares e amigos para que nos ajudem a escolher o nome definitivo, e esperamos que seja autorizado ;)

2011 vai ser um ano atarefado, esperamos nós…